Blog

Esta aplicação, Guard Provider, vem pré-instalada no smartphone e é impossível de remover, tornando assim um antivirus numa falha de segurança.

Com esta vulnerabilidade uma entidade maliciosa consegue ganhar acesso a ficheiros e injetar malware no smartphone da vítima, através de um Man-In-The-Middle (MiTM) attack.