Blog

A Black Friday é uma data que consta dos calendários a nível mundial. No próximo dia 27 de Novembro celebra-se este dia em que muitas lojas, sobretudo as online, colocam à disposição dos seus consumidores grandes ofertas e descontos. Esta tradição de origem americana internacionalizou-se graças às grandes plataformas de ecommerce e converteu-se, mais recentemente, no pontapé de saída para as compras de Natal. Expandiu-se, também, para abarcar a Cyber Monday, que se realiza a 30 de Novembro, com ainda mais ofertas e descontos nas vendas online.

No inicio deste mês de novembro foi identificada uma campanha de phishing que personifica a Autoridade Tributária e Aduaneira portuguesa, o objetivo é que a vítima acredite que esta entidade pretende reembolsar uma quantia monetária e assim fornecer os seus dados pessoais.

Os ataques de comprometimento de e-mail comercial (BEC) continuaram a crescer no terceiro trimestre de 2020, aumentando 15% em geral em comparação com o segundo trimestre, de acordo com o Relatório Trimestral BEC da Abnormal Security.

Desde que o teletrabalho se converteu numa rotina diária para muitos portugueses, a preocupação das empresas com a cibersegurança dos seus colaboradores e redes corporativas tem vindo a aumentar. Ao desempenhar o seu trabalho de forma remota, os colaboradores precisam, de certa forma, de actuar como sendo os seus próprios departamentos de TI, uma vez que não têm consigo um colega do departamento informático que os possa aconselhar no momento sobre o que fazer ou não fazer perante quaisquer possíveis incidentes ou situações suspeitas.

A pandemia trouxe um aumento do número de incidentes de cibersegurança. O Centro Nacional de Cibersegurança destaca o aumento dos ciberataques, “os quais aproveitaram o período de confinamento para estratégias oportunistas, tornando as organizações e os indivíduos alvos mais prováveis” .

Em 2020, até Agosto, o sistema infectado por malware representou 16% do total de incidentes, por tipo, registados pelo CERT.PT. O segundo mais frequente, depois do phishing, com 36%. Estes são alguns dos dados divulgados pelo Observatório de Cibersegurança, do Centro Nacional de Cibersegurança.